Publicações

Trabalhos científicos que estão sendo realizados pelas alunas da turma de especialização em Motricidade Orofacial e professores do CEFAC-RS.

INTERVENÇÃO FONOAUDIOLÓGICA NA SÍNDROME DE MÖEBIUS: RELATO DE CASO
Alessandra Machado Eilert, Clarissa Silva de Carvalho, Erissandra Gomes

AVALIAÇÃO MIOFUNCIONAL OROFACIAL E QUALIDADE DE VIDA EM PACIENTES COM DIAGNÓSTICO DE SÍNDROME DE APNÉIA E HIPOPNÉIA DO SONO (SAHOS)
Aline Prikladnicki, Melissa Giacomeli Brunetto, Erissandra Gomes, Denis Martinez

PREVALÊNCIA DE PACIENTES ADULTOS COM DISFAGIA ATENDIDOS NO AMBULATÓRIO DE FONOAUDIOLOGIA DO HOSPITAL SÃO LUCAS DA PUC/RS
Aline Morin Alves, Milene De Almeida Garcia, Ligia Motta, Erissandra Gomes

REABILITAÇÃO DA DISFAGIA EM PACIENTE PÓS ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO
Betina Scheeren, Ligia Motta, Erissandra Gomes

PREVALÊNCIA DOS SINAIS E SINTOMAS DE DISFUNÇÃO TEMPOROMANDIBULAR E DOR OROFACIAL EM CLINICAS ODONTOLÓGICAS DA CIDADE DE ERECHIM – RS
Janaise Cristina Bernardi Trentin, Valdomiro Simoneti, Erissandra Gomes

INVESTIGAÇÃO A RESPEITO DO CONHECIMENTO DA EQUIPE MÉDICA SOBRE A ATUAÇÃO FONOAUDIOLÓGICA NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA NEONATAL
Roberta Ceron, Letícia de Azevedo Franke, Erissandra Gomes

CONHECIMENTO DOS GRADUANDOS EM PEDAGOGIA SOBRE A RESPIRAÇÃO ORAL E A APRENDIZAGEM
Lidiane Lurdes Friederichs, Erissandra Gomes

ADAPTAÇÃO DO OBTURADOR PALATINO EM PACIENTE COM FISSURA ADQUIRIDA: ATUAÇÃO FONO
Luciane Grazziottin, Lorenza Bollis Supptitz, Erissandra Gomes

DIFICULDADES DE DEGLUTIÇÃO EM POPULAÇÃO GERIÁTRICA
Ana Paula Tortelli, Daniele Becker Iegli, Ligia Motta, Maira Rozenfeld Olchik, Erissandra Gomes

Rizzon, Giovana Furlin, Chiechelski, Patrícia and Gomes, Erissandra

Relação entre consciência fonológica e desvio fonológico em crianças da 1ª série do ensino fundamental.

Rev. CEFAC, 2009, vol.11, suppl.2, p.201-207. ISSN 1516-1846
OBJETIVO: verificar a relação entre a consciência fonológica e os desvios fonológicos. MÉTODOS: o estudo foi realizado com 34 crianças de ambos os sexos, sendo que 17 apresentavam alteração no aspecto fonológico e 17 não, com idades entre 6 e 8 anos, estudantes da 1ª série de uma escola estadual e outra municipal, no Rio Grande do Sul. As crianças foram avaliadas para verificação do desvio fonológico pela Fonologia do Teste ABFW e para avaliar a consciência fonológica pelo Teste CONFIAS. RESULTADOS: a média de idade foi de 7,18 ± 0,52, sendo predominante o sexo feminino 18 (52,9%). Não houve diferença estatística quando comparada a variável desvio fonológico com o desempenho das crianças no Teste CONFIAS, tanto na soma dos níveis de sílaba quanto de fonema (P=0,81 e P=0,53, respectivamente). Num único subteste, o de segmentação silábica (P=0,03), a diferença se mostrou presente. Quando estratificados em relação ao gênero, os grupos não diferiram, porém na comparação por tipo de escola (estadual x municipal) foram encontradas diferenças significantes no Teste CONFIAS na produção de palavra com a sílaba dada (P=0,002) e na produção de rima (P=0,031). CONCLUSÃO: a ocorrência de desvio fonológico em crianças da 1ª série não interferiu no desempenho dos itens relacionados com a consciência fonológica.
Keywords : Linguagem Infantil; Fala; Linguística.

Sandri, Mirtes Adiles, Meneghetti, Simone Lorelei and Gomes, Erissandra Perfil comunicativo de crianças entre 1 e 3 anos com desenvolvimento normal de linguagem. Rev. CEFAC, Mar 2009, vol.11, no.1, p.34-41. ISSN 1516-1846
OBJETIVO: traçar o perfil comunicativo (habilidades comunicativas e interacionais, compreensão verbal e aspectos do desenvolvimento cognitivo) de crianças entre 1 e 3 anos com desenvolvimento normal da linguagem, correlacionando com as variáveis faixa etária e gênero. MÉTODOS: participaram do estudo 24 crianças (12 meninos e 12 meninas), divididas em dois grupos: Grupo 1 (G1) – crianças de 1 e 2 anos e Grupo 2 (G2) – crianças de 2 e 3 anos. O instrumento de avaliação utilizado foi o Protocolo de Observação Comportamental (PROC) (Zorzi e Hage, 2004). RESULTADOS: na análise dos dados quantitativos houve diferença estatisticamente significante quando comparados os grupos por faixa etária (P<0,05). Na comparação dos dados qualitativos pela faixa etária as crianças do G2 foram superiores (P<0,05), exceto no item compreensão da linguagem oral que se mostrou equivalente nos grupos (P=0,217). Em relação ao gênero não houve diferença estatisticamente significante, entretanto observa-se uma superioridade do feminino. CONCLUSÃO: o teste utilizado foi sensível para identificar diferenças no desempenho entre os dois grupos etários no que tange ao perfil comunicativo das crianças pesquisadas. Keywords : Desenvolvimento de Linguagem; Testes de Linguagem; Pré-Escolar. Barros, Tristana Nascimento and Gomes, Erissandra O perfil dos professores leitores das séries iniciais e a prática de leitura em sala de aula. Rev. CEFAC, 2008, vol.10, no.3, p.332-342. ISSN 1516-1846 OBJETIVO: investigar os hábitos e o comportamento dos professores de 1ª a 4ª série do ensino fundamental perante a leitura e a prática de leitura em sala de aula. MÉTODOS: estudo observacional, transversal, com a participação de 30 professores de 1ª a 4ª séries, do ensino fundamental, de escolas públicas. Através de um questionário com 15 questões do tipo aberta e fechada, foram colhidas informações sobre os hábitos e atitudes dos professores frente ao aprendizado da leitura. RESULTADOS: dos 30 professores estudados, houve diferença estatisticamente significativa entre os comportamentos (p<0,001), sendo que o comportamento pouco favorável foi o mais prevalente entre os professores. CONCLUSÃO: a grande maioria dos professores não desenvolveu uma relação afetiva com a leitura na infância e não tem o hábito de leitura, tão necessário para formar pequenos leitores em bons-leitores. Keywords : Comunicação; Aprendizagem; Educação. DAMBROWSKI, Adriane Bittencourt; MARTINS, Cristine Leal; THEODORO, Juliana de Lima and GOMES, Erissandra. Influência da consciência fonológica na escrita de pré-escolares. Rev. CEFAC, 2008, vol.10, no.2, p.175-181. ISSN 1516-1846 OBJETIVO: analisar a influência da consciência fonológica no estágio de desenvolvimento da escrita de crianças pré-escolares. MÉTODOS: estudo clínico randomizado comparado. Aplicou-se o protocolo CONFIAS e um ditado de palavras, a uma amostra constituída de 57 crianças, divididas aleatoriamente em grupo intervenção (30) e grupo controle (27). A faixa etária foi de 5 anos e 1 mês a 6 anos e 6 meses. Para o GI foram realizadas 10 intervenções de 30 minutos, com atividades lúdicas de consciência fonológica, enquanto que para o GC não foram realizadas atividades. Após, todas as crianças foram reavaliadas com os mesmos instrumentos. RESULTADOS: na avaliação inicial, 92,6% e 93,4% das crianças do GC e GI respectivamente, eram pré-silábicas quanto ao nível de escrita, e apresentavam pontuações da consciência fonológica semelhantes, para o GC 26 e para o GI 24 acertos. Ao passo que na avaliação final, no GI, 36,7% das crianças evoluíram para o nível silábico e 10% evoluíram para o nível silábico-alfabético da escrita (P<0,0001), contra apenas 14,8% e 3,7% respectivamente, das do GC (P=0,056). Com relação ao nível de consciência fonológica, a evolução do GI ainda é mais marcante, as crianças passaram de 24 para 37 acertos na avaliação final (P<0,0001), enquanto que os sujeitos do GC passaram de 26 para 28 pontos na avaliação final. CONCLUSÃO: a estimulação da consciência fonológica interferiu no estágio do desenvolvimento da escrita. Keywords : Estudos de Linguagem; Consciência; Aprendizagem. Ferronatto, Bianca Correia and Gomes, Erissandra Um caso de bilingüismo: a construção lexical, pragmática e semântica. Rev. CEFAC, Mar 2008, vol.10, no.1, p.22-28. ISSN 1516-1846 OBJETIVO: relatar a atuação fonoaudiológica em um caso de bilingüismo precoce. MÉTODOS: relato de caso de paciente do sexo masculino, bilíngüe desde a infância. Encaminhado para atendimento fonoaudiológico, aos 2:4 meses, com a queixa familiar de não se comunicar verbalmente. Descrição através de dados da avaliação e terapia fonoaudiológica ao longo de 2:3 meses de acompanhamento. RESULTADOS: a avaliação fonoaudiológica, baseada na observação informal, constatou presença de formas comunicativas intencionais elementares, caracterizando um atraso simples de linguagem, tendo o bilingüismo como causa. A terapia moldou-se e modificou-se conforme as evoluções do paciente. O paciente obteve crescimento relacionado ao uso do português nos aspectos pragmático, semântico e lexical, atingindo o objetivo principal das intervenções. CONCLUSÃO: a fonoterapia mostrou-se efetiva, contribuindo para proporcionar uma melhor qualidade de comunicação e fala ao paciente, essencialmente no que diz respeito ao uso da língua portuguesa. Keywords : Fala; Multilinguismo; Desenvolvimento da Linguagem.

CENTRO DE FONOAUDIOLOGIA LIGIA MOTTA - 2012 ©

R. Miguel Tostes, 647/303, Bairro Rio Branco - Porto Alegre
Sede de Cursos: R. Giordano Bruno, 305/101, Bairro Rio Branco - Porto Alegre
contato@cfligiamotta.com.br 51 3330.9675 / 51 9977.1927

CANAIS